Como imprimir boleto MEI vencido?

Todos os meses, uma guia MEI é disponibilizada para que os inscritos possam realizar o pagamento das obrigações tributárias. Dessa forma, é necessário estar sempre atento aos prazos para não acabar pagando alguma multa ou juros e, por isso, os colaboradores precisam saber como imprimir boleto MEI vencido.

O processo é extremamente simples e não demanda muito tempo. Pode ser realizado por meio do Portal do Simples Nacional, onde a emissão é gratuita. Assim, você conseguirá ter acesso aos seus débitos e, consequentemente, conseguirá regularizar a situação como microempreendedor brasileiro para não precisar se preocupar mais.

Como imprimir boleto MEI vencido?

imprimir boleto MEI vencido

Para imprimir o boleto MEI vencido, é possível baixar um aplicativo chamado “PGMEI”, onde será possível emitir a sua guia MEI e, consequentemente, imprimir qualquer boleto que estiver vencido ou que esteja prestes a vencer. Essa é uma enorme facilidade para quem não gosta de processos burocráticos.

Por meio do “PGMEI”, a segunda via pode ser gerada, basta seguir alguns passos extremamente simples. A correção dos valores já estará aplicada de maneira automática, sendo necessário, unicamente, realizar o pagamento do total informado na via.

Confira, abaixo, como imprimir boleto MEI vencido.

  • Acesse o Portal do Empreendedor do Governo;
  • Informe o número do seu CNPJ e clique em “Continuar“;
  • Você será direcionado para uma página com as informações do seu MEI
  • Clique na opção “Emitir Guia de Pagamento DAS“;
  • Informe o Ano-Calendário e clique em “OK“;
  • Todos os boletos daquele ano escolhido serão gerados. Assim, será possível imprimir a sua via e, consequentemente, realizar o pagamento com os juros e a multa já devidamente calculados.

Como regularizar MEI atrasado?

Agora que você já sabe como imprimir boleto MEI vencido, será possível entender um pouco mais sobre o processo de regularização. Ao deixar de pagar o DAS na data limite, multas e juros serão gerados e, ainda assim, alguns débitos serão incluídos na Dívida Ativa da União.

Ao realizar o pagamento de todas as dívidas que estão atrasadas, o MEI poderá limpar o seu nome de maneira definitiva. A situação é regularizada de forma automática, tendo a Receita Federal e outros órgãos tão importantes quanto envolvidos em todo o processo. Sendo assim, no fim das contas, basta quitar todos os débitos.

Afinal, o que é MEI?

No Brasil, existem muitos profissionais autônomos, ou seja, que trabalham por conta própria. No entanto, pensando no grande número de pessoas sem registro para determinadas atividades, o governo decidiu criar o MEI, que nada mais é do que uma espécie de “programa” com base no Microempreendedor Individual.

Ao realizar o seu cadastro, é possível passar a receber um CNPJ, fazendo com que haja uma maior facilidade para abrir uma conta bancária, solicitar empréstimos e emitir notas fiscais. Além disso, as obrigações passam a ser vistas como as de uma pessoa jurídica, ou seja, o autônomo responde por sua empresa.

Como é possível ser MEI?

Para ser um Microempreendedor Individual, é necessário fazer um registro. Essa área de atuação precisa estar incluída em uma lista oficial da categoria, visto que o MEI tem como principal objetivo promover a regularização de alguns profissionais que, antes, trabalhavam como funcionários informais.

Dessa maneira, alguns requisitos para ser MEI são:

  • Lucrar até R$ 81.000 por ano ou cerca de R$ 6.750 por mês;
  • Não fazer parte de outra empresa sendo sócio ou titular;
  • Ter, no máximo, um empregado contratado que esteja recebendo o valor de um salário-mínimo ou piso da categoria.

Benefícios do microempreendedor

Existem, sim, alguns benefícios em ser MEI. Muito embora esse tema ainda seja pouco discutido, há muitos profissionais que acabam se dando bem nas áreas de atuação e, consequentemente, conseguem mudar para outras categorias com mais amplitude no futuro. Ainda assim, há muitas vantagens em ser um microempreendedor individual.

Caso você seja mulher, terá direito ao auxílio-maternidade, para que continue recebendo uma certa quantia após o período do nascimento da criança. Além disso, o MEI também tem o direito ao afastamento remunerado caso tenha enfrentado algum problema de saúde e não possa trabalhar por algum período.

A aposentadoria também é um direito do microempreendedor, afinal, todos precisam ter alguma garantia após o tempo de trabalho ter se encerrado. Para isso, é necessário pagar sempre as taxas em dia e garantir que todas as dívidas estejam quitadas para, dessa forma, ter um pouco mais de paz profissional.

Por fim, o MEI ainda pode ser enquadrado no Simples Nacional, ficando isento de alguns tributos federais, sendo eles o Imposto de Renda, o PIS, Cofins, IPI e CSLL.

Ainda assim, também terá o direito de abrir conta em banco, podendo acessar crédito com juros mais baixos do que um CPF.